Tão somente mulher
(Yara Nazaré - 19/03/03)

Ainda que não me vejas
Na essência como sou
Não sou uma concha vazia
No meu jardim 
Tenho rosas cultivadas
E regadas com amor.

No peito meu coração aflora
Pleno de alimento interior
E na minha metamorfose
Sou como a borboleta
Pousando de flor em flor
Sugando delas o néctar
Que tece o meu caminhar
E sem alarde revelo
Meu perfil transparente
De fácil leitura e tradução.

Sou assim...
Tão somente mulher
Ser que pensa e alimenta
A esperança de viver
No mundo sem medo e sem dor.

Mostro-me, na palavra autêntica
Escrita em versos simples
Sem a vaidosa pretensão.
É o meu retrato vivo
E dos dias que enfeito
Com as estrelas e o luar
Que tomo emprestados da noite
Tentando meus sonhos, realizar!

(Direitos Autorais Reservados)


*******
Clique na imagem e recomende a página

CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

Home||Menu||Livro de Visitas||E-mail
 

webdesigner
*Ja(Mulher