Madrugada
(Theca Angel)

A madrugada se esvai em despedida
já se divisa da aurora os fulgores
Tinge-se a noite de variadas cores
desponta o sol , vai- se a Lua de partida

Da noite há, não mais que poucas sombras
Os rumores são cada vez mais presentes
Canta o galo no terreiro distante
Ouço em sonhos ecoar a voz do amor ausente

Da madrugada desceram-se as cortinas
Raios de luz adentram e tudo aquecem
Uma solitária estrela, brilha, entre a neblina

Resta no céu também a pálida Lua
Que se faz pouco a pouco, mais ausente.
E envolve-se sensual na claridade presente!

******

Home||Menu||Livro de Visitas||E-mail

webdesigner
*Ja(Mulher)*