Jardins
(Marcos Milhazes)

Em meio à poeira da vida
Vesti-me com luzes da noite
Mesa servida
Quiçá 
de pensamentos perfumados
Interpretar-me, eu!
Como artista 
em pleno prosa da apresentação
Sigo imaginação plena
A mão que toca, hora de pensar
ou
plantar
Quimera, 
cheiro de terra
Seguir jardineiro universal
Adubar meu jardim, cheio de festa
Talvez até possa!
Alquimia
de minha anatomia
Em aromas naturais?
Fragrância macia depois de uma noite
Desabrochá-la
com jeito de uma rosa
Enfim,
poder colhê-la...

26.11.2004 às 13:33

*********

webdesigner
*Ja(Mulher